mergulhem-se

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Aviso - Lya Luft, poesia

Se me quiseres amar,
terá de ser agora: depois
estarei cansada.
Minha vida foi feita de parceria com a morte:
pertenço um pouco a cada uma,
pra mim sobrou quase nada.

Ponho a máscara do dia,
um rosto cômodo e simples,
e assim garanto a minha sobrevida.

Se me quiseres amar,
terá de ser hoje:
amanhã estarei mudada.

3 comentários:

Anônimo disse...

Bonito, dolorido de ler agora, mas bonito demais.

Julia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Eu te amo, menina Juba!