mergulhem-se

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

Li um dia, não sei onde - Florberla Espanca















Li um dia, não sei onde,
Que em todos os namorados
Uns amam muito, e os outros
Contentam-se em ser amados.

Fico a cismar pensativa
Neste mistério encantado...
Diga prá mim: de nós dois
Quem ama e quem é amado?...





Florbela Espanca (1894 - 1930), foi uma poetisa portuguesa. Suicidou-se aos 36 anos após o diagnóstico de um edema pulmonar.

4 comentários:

trak amorim disse...

engraçado que quase sempre é assim mesmo. Florbela como sempre, certeira. bjinnn

Luciana Ponce disse...

Você e suas pesquisas de imagens... Ficou bonita a composição texto-imagem-fundo!

(será que o melhor de não ser namorado é amar e se saber amado? Te amo.)

Julia disse...

Numa composição cubista...

Anônimo disse...

Li a poesia completa dela e não conheço esse soneto. Aliás nunca poderia ser dela porque os portugueses não falam assim "Diga pra mim". Provavelmente alguém espalhou na net como sendo dela, mas tenho 100% de certeza que não é.